sexta-feira, 29 de julho de 2016

NOVA ROMA DO SUL: EMOÇÃO E DORES NO CORPO

Domingo de ferias de inverno.
 Um passeio até Nova Roma para exercitar a adrenalina.
 Não ousei... Só 65m. Para uma próxima.
 Um pequeno arvorismo...
 Muito verde, agua, sombra:
ideal para o verão.
 Quando marcar rafting, (54) 2294 1791,
não aqui, mas no rio das Antas, faça com antecedência de 5 dias.
 Vale o passeio, claro!
A tirolesa é bem bacana: 1.400 m em três etapas.
 Escolhi o pêndulo sem saber...
 o que era um pêndulo.
Quase morri.
Nunca, nunca, nunca mais.
 Anna Carolina curtiu:
15 anos invejáveis.
 O tucano riu da minha cara
branca de terror.
 Uma trilha de meia hora de quadriciclo: 
saí quebrada.
Quase que nem dá para curtir o visual...
Linha Paranaguá, 630. Vale o passeio. Duas horas e meia de Lajeado até lá.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

DA SÉRIE: PARAISOS RURAIS

   Tempo de carnaval em Tamanduá.
Chegamos cedinho para garantir presença no desfile...
 ... com uma pegada ecológica, com uma proposta de simbiose.


Início da trilha no Centro Ecológico Pedra D'Mim.
A pinguela é nosso carro alegórico!

Nas margens do pequeno Arroio Tamanduá, lindas calhandras floridas como uma comissão de frente.


Um bloco pequeno, mais silencioso,
mais conectado com a Natureza.

As Hovenias dulces são como  praga. Não desistem.
Essa brotou de novo na mãe.

 Cortadas,  servem de degraus.
Muitos degraus até chegar à zona de dispersão.

Então, a gente encara, com ajuda de um adereço especial.
 A recompensa na segunda-feira quente de carnaval
é  juntar os foliões nesse sambódromo natural.
 Nossa Senhora do Silêncio
pede um samba enredo mais sussurrado.

A Natureza não é só a nossa casa,
mas também o nosso corpo,
sempre em movimento.
Dá significado a nossas vidas
como um samba enredo 
com todos os erros de concordância.
 Não mais que doze pessoas. 
No máximo catorze.
Do contrário, vira escola de samba.
Componentes de Teutônia, de Lajeado e Porto Alegre
 Marta é  a porta-bandeira do bloco.
Divide generosamente seu paraíso verde,
seus conhecimentos e suas crenças
 com quem gosta do cheiro do mato,
da agua limpa e fria,
com quem acredita na preservação ambiental.

 Manter uma mata preservada 
não é só uma questão ecológica,
é uma crença ética.

Valeu o feriado de carnaval!

Obrigada Marta, obrigada Artur!

Contato: pedradmim@gmail.com
No facebook: Marta Verena Lucian

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

DA SÉRIE: PARAISOS MARÍTIMOS...

 Trilha curtinha, urbanizada.
 Leve seu guarda-sol, canga, sanduba e agua. 



Um sombrero único em toda praia:
obrigada seu Jorge!
 Nem uma valinha sequer para os surfistas...
embora "alguem" caçe com arpão.
Ainda bem que o paraíso
é aqui pertinho e não, artificial.

domingo, 1 de novembro de 2015

O PULMÃO DE LAJEADO

 Sempre que a desesperança gruda, o Parque do Engenho, 
menos de três quadras da minha casa, socorre.
 É só adentrar naquela onda verde que a descrença larga da minha alma.
 Melhor que banho de mar. 
Melhor que banho de sal grosso...
 Cada escadinha, cada tapetinho de musgo devolve a paz,
e a esperança na criatura humana.
A vida não é assim?
Sigo pela esquerda.
Mas se escolhesse o outro lado, chegaria igual.
Na política, diferentes os caminhos, mas a meta sempre a mesma:
o bolso do político.
A esquerda parece um pouco mais solidária
 com aqueles que menos tem.

 Não quero pensar em podridão.
Vim para oxigenar as células.
Caminho...
 Respiro, respiro, respiro...
Mentalizo tudo passa, tudo passa.
 Os bons pensamentos fluem.
A imponência das árvores,
a certeza das raízes.
 Minha mãe tem 81 anos.
Crê na vida com suas lentes rosadas para o mundo.
Por isso tão bem de saúde física e mental!
É uma inspiração.
 Um ecossistema perfeito: 
passarinhos e parasitas,
árvores novas e velhas.
 O Parque do Engenho não precisa 
de nenhum projeto paisagístico,
basta cuidar do patrimônio natural.
 Nos fins de semana de sol, atrai muita gente,
Hoje, nublado e frio, perfeito para divagar em voz alta.
Uma grutinha para os devotos de Maria.
Coisa boa ter fé.
A minha,  na Natureza.

 Verde nas copas, verde nas águas.
 Eles são os donos naturais do cenário.
Hummmm, aqui já deveriam ter cercado
 e plantado uma cerca de árvores...


  O Parque é o quintal dos moradores na divisa de suas casas. 
Dá para tomar um café na maior tranquilidade.
De outro lado do laguinho
 colhe-se pitangas...

 araças e amoras,

e poesia em flor.
 O melhor é o silêncio,..
... às vezes quebrado por quem insiste no carro.
Compare com a foto acima:
estraga o cartão-postal.
Deveria ser proibido passar carro.
 Um atentado à tranquilidade.
Esse é o único tunel verde da cidade.
Acender velas para que ninguém destrua.
 Aos poucos os pais vão chegando com seus filhos.
 Desde pequeno é preciso ensinar a preservar
a cuidar
a amar a natureza.
Volto para casa confortada, de alma mais leve.
sem pensar nas encrencas e maldades do mundo.
Precisava disso hoje.

 Será que sempre precisaremos lembrar à humanidade?
 Antes de chegar em casa, passamos por aqui.
Dizem que vão vender o predio, dizem.
Um  Centro Cultural vinha bem ao bairro e ao lado do Parque...
 Ainda mais que estão destruindo tudo. Ha dezenas de edifícios sendo construídos. Mais importante ainda proteger o pulmão da cidade. Tem casa antigas à venda por tres milhões de reais...
A nossa resiste.
Bom feriado pra você que acompanhou essa caminhada!